26/12 - Cansei de Ser Cult #53
Velvet Pub - 102 Norte
10 reais - Entrada gratuita até 22h

Contatos para Show - Juliana Cury
velhos[at]velhoseusados.com
61 7813-8291

Nome:


E-mail:





Posts de February, 2008

Banda autoriza cópias de CD

Tuesday, February 26th, 2008

BANDA DE ROCK DE BRASÍLIA VELHOS E USADOS ACHOU NA INTERNET UMA FORMA MAIS FÁCIL DE CHEGAR AO PÚBLICO

Muitas bandas se aproveitam da internet e, principalmente, dos sites legalizados de cópias de música para fazer a sua publicidade. É o caso da banda de rock brasiliense Velhos e Usados. "Foi a forma mais fácil que encontramos para buscar o público e, além disso, somos independentes de gravadoras", explica Diego Marx, vocalista da banda.
Marx ressalta que a banda autorizou a cópia de quase todas as músicas do primeiro CD a vários sites, entre eles o My Space e o Trama Virtual. E a resposta foi positiva. Em duas semanas, a banda teve 1.650 músicas baixadas. "Tem gente de outros estados e até de outros países, como a Espanha, que se comunicaram com a gente", comemora.
Marx atribui o crescimento da banda pela internet uma possibilidade de apresentar o trabalho à vários tipos de público. "Os usuários da internet são diferentes. Querem coisas novas. E aí está a oportunidade dos grupos novos", ressalta. "As pessoas devem ter consciência que estão prejudicando o trabalho de muita gente ao piratear", explica o vocalista, que diz ser rato do site Trama Virtual.

Entrevista do V.U. na Rádio Cultura FM!

Thursday, February 21st, 2008

Neste sábado, 23 de fevereiro, às 20:00, estaremos no programa Conexão DF na Rádio Cultura FM (100.9), de Brasília. Vai rolar entrevista com a banda sobre o nosso primeiro disco, vão tocar algumas músicas do CD e quem sabe role alguma promoção pros ouvintes!

Então sintonizem seus radinhos na 100,9 no sábado à noite e confiram!

Abraços!

Guerra autoral contra a mesmice

Monday, February 18th, 2008

A imagem de um pequeno batalhão à espera do primeiro tiro para enfrentar um gigantesco pelotão é constantemente usada para ilustrar a disputa entre os soldados da música independente e o poderoso exército da indústria fonográfica. Nos últimos anos, a militância recebeu reforços de peso para a árdua guerrilha: a internet, os festivais, a ascensão de uma cena alternativa. Mas o arsenal ainda mantém-se carente de itens essenciais, como maior inserção nas rádios comerciais e nos palcos locais.

Alguns projetos têm procurado preencher pelo menos parte dessa carência conquistando espaço valioso para as bandas na programação das casas da cidade.  Os dias escolhidos ocupam vazios numa agenda noturna escassa durante a semana. Quem acredita que a aposta em novos artistas seja apenas uma tentativa cheia de boas intenções, que não resulta em retorno financeiro, pode se surpreender.

Desde o ano passado, o Brasília Independente, do Rayuela Bistrô, prova que é possível tirar o público da cama para assistir aos talentos locais numa segunda-feira. O projeto começou em maio e, a partir de julho, tornou-se semanal. "Estamos conseguindo casa cheia toda semana", comemora Guilherme Brady, 32 anos, um dos proprietários do Rayuela. O espaço para shows tem capacidade para 50 pessoas. Tamanho ideal, principalmente, para músicos em início de carreira.

Daniela Firme, à frente da produtora Musimix, é responsável pela programação do Brasília Independente. Cantora, Daniela, 25, conhece bem as agruras da independência. Uma delas é a resistência da platéia brasiliense – boa parte dela mais propícia a noites regadas a covers. "Estamos formando um público. Tem muita gente que está lá semanalmente", observa. Isso vale pare os artistas também, que, depois da chance, passam a ter acesso livre ao evento. Para submeter o material ao crivo da Musimix, as bandas devem entregá-lo pessoalmente, no Brasília Independente.

No UK Brasil, o Quarta Supernova, também destinado ao talento brasiliense, deu filhotes. O projeto começou em outubro do ano passado e é organizado por Diana Bresolin, produtora da banda Lafusa, e Aloízio Michael, vocal do grupo. Em março, o UK testa formato semelhante com o Terça Ferrenha. Desta vez, porém, os shows serão direcionados ao público do metal. Para entrar na seleção da Quarta Supernova, basta enviar material para o e-mail supernova@gmail.com.

Diego Marques, vocalista do Velhos e Usados, atração de hoje do Brasília Independente, ressalta a dificuldade de manter na agenda a periodicidade de um show por mês. O grupo prevê lançamento de CD para maio. "A busca agora é pelo público, e não pela venda de CDs", diz, recrutando novos soldados para a guerra contra a mesmice.

Hí­brido, + de 1.000 downloads

Tuesday, February 12th, 2008

Gostariamos de agradecer a todos os mais de 1.000 downloads que tivemos em uma semana, e agradecer também todos os feedbacks que tivemos desde o lançamento do Hí­brido. Muití­ssimo obrigado do fundo dos nossos corações.

Mas agora, pra gente vem uma outra fase, que é a de alcançar outras pessoas, e pra isso dependemos de quem ouve o disco, por isso faço o pedido… divulguem o Hí­brido, mandem o link… passem pra frente… gravem em cd e repassem. A continução do nosso trabalho depende também disso, logo depende também de vocês…

Em breve o cd definitivo, com encarte, capa, e tudo que um cd tem direito.

E pra quem ainda não faz parte, participe da nossa Comunidade do Velhos no Orkut.

Grande beijo no coração de todos!

Velhos e Usados

Saturday, February 9th, 2008
Dizem que a propaganda é a alma do negócio e o pessoal que pensa assim está bem certo. Foi mais ou menos por aí que a banda Velhos e Usados começou a divulgação de seu primeiro CD, o Híbrido.

Tudo começou com uma série de e-mails desenvolvidos pela banda para aguçar a curiosidade do público.O que seria esse tal de Híbrido? Por que esperar até dia 1° de fevereiro para descobrir, se estamos em janeiro ainda ? O que será que ele tem tão especial? Essas foram algumas das perguntas formuladas pelas pessoas que recebiam os e-mails.

Foi criado um site; um fórum; depois do fórum, um vídeo; e o segredo foi revelado.

Mas antes de continuarmos, você sabe o que quer dizer a palavra “híbrido”? Eu também não sabia, então saí correndo ao dicionário para descobrir. Híbrido nada mais é que uma coisa que tem várias origens. Levando isso para o meio musical, o Velhos e Usados é isso. Os meninos tocam MPB com rock, uma mistureba que vale muito a pena escutar.

Antes mesmo de se chamarem Velhos e Usados (a banda se chamava Patuléia, mas teve que trocar de nome devido a uma homonímia) eu já conhecia o trabalho deles. É maravilhoso escutar o CD e ver o quanto eles cresceram. Nos arranjos, no som, nas finalizações e até nas vozes de Diego e David (eles alternam nos vocais).

Para mim é difícil escolher uma faixa como destaque, entretanto “Jeans”, “Reflexões Voláteis” e “Trapos, remendos e azul”, realmente chamaram a minha atenção. Destaqe também para as novas roupagens para as músicas “Carneiro e o Leão” e “A Menina dos olhos da cor do cabelos”, presentes na demo.

Bom, a dica fica e o CD está disponível para download, mostrando mais uma vez que a internet está aí.

Velhos e Usados é Diego Marx (guitarra, voz, voilão, banjo e programações), David Murad (guitarra e voz), Marco Pessoa (batera), Artur Lôbo (baixo) e Rodrigo Cavallare (teclados, escaleta, backing vocal e programações).