May 2017
M T W T F S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031EC

Próximos Shows:

  • Nenhum evento na agenda.
  • Contatos para Show
    velhos[at]velhoseusados.com

    Nome:


    E-mail:






    Guerra autoral contra a mesmice

    Webmaster | 18/02/2008 - 12:15

    A imagem de um pequeno batalhão à espera do primeiro tiro para enfrentar um gigantesco pelotão é constantemente usada para ilustrar a disputa entre os soldados da música independente e o poderoso exército da indústria fonográfica. Nos últimos anos, a militância recebeu reforços de peso para a árdua guerrilha: a internet, os festivais, a ascensão de uma cena alternativa. Mas o arsenal ainda mantém-se carente de itens essenciais, como maior inserção nas rádios comerciais e nos palcos locais.

    Alguns projetos têm procurado preencher pelo menos parte dessa carência conquistando espaço valioso para as bandas na programação das casas da cidade.  Os dias escolhidos ocupam vazios numa agenda noturna escassa durante a semana. Quem acredita que a aposta em novos artistas seja apenas uma tentativa cheia de boas intenções, que não resulta em retorno financeiro, pode se surpreender.

    Desde o ano passado, o Brasília Independente, do Rayuela Bistrô, prova que é possível tirar o público da cama para assistir aos talentos locais numa segunda-feira. O projeto começou em maio e, a partir de julho, tornou-se semanal. "Estamos conseguindo casa cheia toda semana", comemora Guilherme Brady, 32 anos, um dos proprietários do Rayuela. O espaço para shows tem capacidade para 50 pessoas. Tamanho ideal, principalmente, para músicos em início de carreira.

    Daniela Firme, à frente da produtora Musimix, é responsável pela programação do Brasília Independente. Cantora, Daniela, 25, conhece bem as agruras da independência. Uma delas é a resistência da platéia brasiliense – boa parte dela mais propícia a noites regadas a covers. "Estamos formando um público. Tem muita gente que está lá semanalmente", observa. Isso vale pare os artistas também, que, depois da chance, passam a ter acesso livre ao evento. Para submeter o material ao crivo da Musimix, as bandas devem entregá-lo pessoalmente, no Brasília Independente.

    No UK Brasil, o Quarta Supernova, também destinado ao talento brasiliense, deu filhotes. O projeto começou em outubro do ano passado e é organizado por Diana Bresolin, produtora da banda Lafusa, e Aloízio Michael, vocal do grupo. Em março, o UK testa formato semelhante com o Terça Ferrenha. Desta vez, porém, os shows serão direcionados ao público do metal. Para entrar na seleção da Quarta Supernova, basta enviar material para o e-mail supernova@gmail.com.

    Diego Marques, vocalista do Velhos e Usados, atração de hoje do Brasília Independente, ressalta a dificuldade de manter na agenda a periodicidade de um show por mês. O grupo prevê lançamento de CD para maio. "A busca agora é pelo público, e não pela venda de CDs", diz, recrutando novos soldados para a guerra contra a mesmice.

    Comente

    Trackback no seu site